Siga nas redes

Chega de afronta aos direitos e salários! Dia 07, todos nas assembleias!

Publicado em 01/08/2018

Fonte:


Os impasses diante de uma proposta salarial que contemple a categoria com a reposição da inflação e aumento real de salários e a insistência da empresa em retirar cláusulas que contém direitos e conquistas históricas dos trabalhadores e trabalhadoras ecetistas, nos levam a condição de estado de mobilização.

Até o momento as propostas apresentadas foram rechaçadas pela categoria. As negociações continuam, mas a empresa não avançou suficientemente nos índices salariais, além de propor o congelamento ou a retirada de direitos em quase todos os pontos.

Na tarde desta terça-feira (31), mais uma rodada de negociação resultou escassa aos interesses dos trabalhadores, que registraram sua insatisfação com medidas adotadas pela direção da empresa, de modo especial com relação ao plano de saúde, mas também a extinção do cargo de Operação de Triagem e Transbordo (OTT), excessivo aumento da contribuição ao POSTALIS, implantação da Distribuição Domiciliária Alternada (DDA), entre outras ações.

A direção da empresa apresentou a proposta de reajuste salarial de 60% sobre o INPC, projetado em 2,21% no período, ou seja, sequer cobre as perdas salariais decorrentes da inflação.

Outros pontos também foram apresentados, como a proposta de 70% de reajuste na remuneração vigente da gratificação de férias, 60% sobre o valor da hora diurna em relação ao salário base do adicional noturno.

A FINDECT registrou que está buscando a unidade de entendimento e ação com a outra federação, no sentido de analisar a carta da empresa que visa prorrogar as negociações até o dia 14 de agosto, com a respectiva ampliação da vigência do ACT.

“Entretanto, os dirigentes da FINDECT já analisaram e rejeitaram a proposta apresentada pela empresa, pois não contempla a necessidade mínima de reajuste dos trabalhadores e ataca direitos de conquistas históricas”, registra o presidente da entidade, José Aparecido Gandara.

Elias Brito (Diviza), vice-presidente da FINDECT e presidente do Sindicato de São Paulo, afirma que os sindicatos da base da FINDECT, que representam a maior base dos trabalhadores dos Correios (São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins e Bauru), estarão mobilizando a categoria para assembleias em todo o país, na próxima terça-feira, dia 07 de agosto, onde a categoria deliberará sobre as propostas da empresa e a possibilidade de greve. “Se o idioma que o governo entende é o da greve, nós sabemos falar esta língua muito bem”, garante Diviza.

O presidente do Sindicato do Rio de Janeiro e secretário-geral da FINDECT, Ronaldo Martins (Ronaldão) registra que as propostas apresentadas pela empresa são uma afronta aos trabalhadores. “Faz parte da política deste governo entreguista que visa arrochar o salário da categoria, sucatear os Correios, com vistas a entrega-lo a iniciativa privada. Mas, vamos reagir com nossa unidade e luta de sempre”, afirmou.

Estiveram presentes, ainda, os diretores da FINDECT José Rufino, presidente do Sindicato do Tocantins e Márcio Martins, presidente do Sindicato do Maranhão.

Mobilização e unidade para garantir avanços e direitos: dia 07, todos nas assembleias!

 

Sônia Corrêa

Correspondente da FINDECT em Brasília

Compartilhe agora com seus amigos