Siga nas redes

FINDECT defende manutenção dos Correios como empresa pública em audiência no Senado

Publicado em 09/08/2019

Fonte:


As declarações do governo favoráveis à privatização da ECT foram criticadas por dirigentes sindicais e senadores durante audiência pública no Senado com argumentos sólidos, fortes e verdadeiros.

A FINDECT participou de Audiência Pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, no dia 08 de agosto, convocada pelo Senador Paulo Paim (PT-RS) para discutir o projeto de privatização dos Correios e suas consequências para os trabalhadores e população.

O Presidente e o vice-Presidente da Federação, José Aparecido Gândara e Elias Diviza, representaram a FINDECT e os trabalhadores ecetistas na Audiência. Esclareceram e fizeram contrapondo aos argumentos falaciosos e enganosos que o governo federal vem utilizando em suas declarações à mídia, para justificar a venda da maior empresa do país e convencer a população de que ela é necessária.

Diálogo e denúncia é tarefa de toda a categoria

A diretoria da FINDECT intensificará os trabalhos junto aos parlamentares. Ressalta, porém, que os trabalhadores e trabalhadoras têm papel fundamental nessa luta. São fundamentais no diálogo com a população e parlamentares de suas cidades e estados, na denúncia do sucateamento proposital da empresa feito pelo governo, que desde 2011 não realiza concurso público e já reduziu o efetivo da ECT em mais de 20 mil trabalhadores, enquanto o serviço aumenta.

Para o Presidente da FINDECT, José Aparecido Gandara, “não tem lógica falar em privatização dos Correios. Temos 100 mil empregados, já saíram da empresa outros 29 mil. A privatização esconde interesse de exploradores do povo brasileiro. Temos 50 mil carteiros para atender todo o Brasil, que trabalham de forma sobrecarregada. Vamos evitar greve para tirar o discurso de que somos responsáveis pela privatização. Na questão do Postalis, fomos roubados e estamos pagando integralmente o dinheiro que foi desviado do fundo de pensão. O governo tem que parar de veicular falácias”.

“A audiência pública no Senado foi importante para ampliar a mobilização e dialogar com os parlamentares no sentido de atingirmos o nosso principal objetivo, mostrar para a sociedade a importância dos Correios e esclarecer que a venda dos Correios será extremamente prejudicial para a população, trabalhadores e para a economia do país”, falou Elias Diviza.

A FINDECT, junto com as demais entidades representativas dos trabalhadores dos Correios, está mobilizando os trabalhadores e trabalhadoras para lutar contra as políticas neoliberais que retiram direitos e destroem o patrimônio público, entre elas a ânsia por privatizar as estatais e, com isso, entregar empresas lucrativas e setores econômicos inteiros a empresários ávidos por lucro, comprometendo o patrimônio público, a integração e a segurança nacional.

Compartilhe agora com seus amigos