Siga nas redes

FINDECT e Sindicatos filiados iniciam mobilização da categoria

Publicado em 29/11/2016

Fonte:


A FINDECT e os Sindicatos filiados exigem que a ECT honre o pagamento que deve e chama a categoria em todo o país para uma GREVE emergencial em dezembro!

Direito conquistado e garantido na cláusula 28 do ACT 2016/2017, a assistência médica não está funcionado como deveria. A culpa é de uma dívida que já soma R$ 500 milhões, e está impedindo que os credenciados sejam pagos em dia.
Se a direção da empresa mantiver essa atitude irresponsável, o convênio médico pode entrar em colapso financeiro, e a categoria ficar sem atendimento já no mês de dezembro.

A Comissão Paritária que discute melhorias no plano, para apontar formas de gestão e de financiamento, está em pleno funcionamento. Isso também consta do Acordo Coletivo. Só depois dos estudos e discussões serem finalizados, as propostas de mudança serão submetidas à categoria em assembleias para aprovação ou rejeição.

Mas a ECT já está aplicando um golpe baixo nos trabalhadores ao deixar de honrar o pagamento que lhe cabe e deixar acumular uma dívida de 500 milhões junto aos credenciados do plano de saúde.

O presidente da ECT afirmou que ainda não tem uma posição final sobre o futuro do plano, pois a comissão paritária ainda não concluiu seu trabalho. Mas sugeriu que não disponibilizará dinheiro para o pagamento do que deve.

Por isso a mobilização dos Trabalhadores se faz necessária já!

Não nos resta alternativa! Temos que ir à luta pela manutenção da assistência médica de qualidade!

Se a dívida não for paga, a categoria ficará sem convênio médico, pois a ANS (Agência Nacional de Saúde) poderá intervir e suspender seu funcionamento, devido aos débitos existentes com os credenciados, que estão entrando com reclamação na Agência. E isso ocorrerá já no início de dezembro!

Esse é mais um absurdo relacionado com a alegação de crise financeira e de déficit nas contas dos Correios. É preciso lembrar que a culpa dessa crise é da má gestão das últimas direções da empresa. A situação de desequilíbrio do plano médico também tem origem na má gestão, na corrupção e na bagunça política após a mudança da gestão do plano do RH da empresa para a Postal Saúde.

Os trabalhadores Ecetistas não podem pagar pela incompetência dos gestores dos Correios e do plano de saúde! Por isso, a FINDECT e os Sindicatos filiados convocam a categoria para as agitações nas bases, com a possibilidade de greve emergencial em dezembro.

Os representantes da FINDECT, e dos Sindicatos filiados, vem cobrando explicações e atitudes da empresa na comissão paritária que discute o plano. Mas, após várias rodadas de negociação, a direção da ECT não se comprometeu a quitar a dívida e não deu perspectivas. A categoria deve, portanto, se preparar para ir à greve até que a empresa quite os débitos e que todos os credenciados voltem a atender normalmente.

O presidente do SINTECT-SP, e Vice-Presidente da FINDECT, Elias Diviza, alerta que a situação é grave e insustentável. E dá o seguinte recado:

“Não podemos esperar mais! A questão agora é a luta em defesa de um convênio médico de qualidade, que ampare o funcionário e sua família. Isso é vital em qualquer empresa, principalmente nos Correios, que é uma verdadeira fábrica de lesionados e aposentados precoces devido à característica do serviço (carregar peso, andar longas caminhadas, sofrer violência nas ruas e setores da empresa, etc.) “

Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios de todo país, vamos à luta em defesa do nosso maior e melhor benefício.
Compartilhe agora com seus amigos