Siga nas redes

Greve cresce e categoria se prepara para embate no TST

Publicado em 30/08/2020

Fonte:


A greve da categoria ganhou grande reforço na última sexta-feira com as carreatas e atos solidários nas bases da FINDECT, além da paralisação que atinge a maior parte da categoria e dos locais de trabalho em todo o país de forma ordeira e pacífica e segue crescendo e recebendo o apoio da população.

Essa força é necessária porque a direção da empresa, em especial seu presidente, continua firme na intenção de acabar com os direitos e o Acordo Coletivo da categoria, reduzir tudo ao que está na CLT que foi destruída na reforma trabalhista e sequer repor a inflação aos salários.

Nesse sentido, o Presidente dos Correios, General Floriano Peixoto rejeitou a proposta do Ministro Vice-presidente TST na audiência de conciliação, de manter o atual Acordo integralmente até o final da pandemia, mesmo que sem reajuste nas cláusulas econômicas. O que já previa se a empresa tivesse respeitado a decisão do TST de 2019.

Com isso a negociação da Campanha Salarial se tornou um processo (Dissídio Coletivo), foi distribuído no Tribunal e teve um relator sorteado (a Ministra Kátia Arruda). Ela ouvirá as partes, apreciará as petições e argumentações e emitirá um relatório, que será julgado no pleno do Tribunal.

A força da luta e o empenho da categoria na mobilização dessa última semana, em especial com a repercussão positiva na mídia da nossa greve e atos solidários ajudaram a FINDECT a conseguir uma reunião com a relatora, na segunda-feira, para apresentar a situação. Também participará a representação da fentect.

A mobilização precisa continuar forte e crescente. A categoria ecetista está dando exemplo de unidade, determinação, disciplina e ordem em sua luta.

O atos solidários com doação de sangue em São Paulo na quinta, 27/08, e as carreatas no Rio de Janeiro e atos no Maranhão, Bauru e Tocantins de 29/08 foram manifestações importantíssimas, que permitiram mostrar à população o quanto os trabalhadores dos Correios estão sendo prejudicados com a política intransigente do General Floriano Peixoto e do governo, bem como a estrutura da empresa e a própria população.

A greve tem que continuar forte, organizada e ordeira, com participação crescente, pois o resultado dos debates e do julgamento do TST dependem disso.

Acompanhem o site da FINDECT e do seu Sindicato e aposte na luta como forma de obter conquistas e defender direitos. Todos unidos até a vitória!

Compartilhe agora com seus amigos