Siga nas redes

Presidente da Postal Saúde é sabatinado por dirigentes sindicais no VII Congresso da FINDECT

Publicado em 23/05/2018

Fonte:


Antonio Aguiar, ARACT-SP, questiona descredenciamentos

Em resposta à solicitação da FINDECT, com relação aos descredenciamentos de odontólogos da rede de assistência médica dos Trabalhadores dos Correios, o Presidente da Postal Saúde, Ariovaldo Câmara, informou que a situação foi regularizada nesta terça-feira (22). Os descredenciamentos estavam acontecendo devido à falta de pagamento aos odontólogos, que estavam há meses sem receber seu repasse mensal.

De acordo com Ariovaldo, em “sabatina” no último dia do VII Congresso da FINDECT, o problema foi causado devido ao repasse da Empresa para a Postal Saúde ser menor do que deveria. Isso gerou, segundo ele, um efeito cascata nas contas da administradora do plano de saúde dos Ecetistas.

“O que não pode acontecer é os Trabalhadores sofrerem as consequências terríveis das falhas nos atendimentos da rede credenciada. Nós estamos pagando a conta da má gestão nos Correios, e na Postal Saúde. Os exames periódicos, por exemplo, não são mais oferecidos pela Empresa. E quando acontecem, são feitos de qualquer jeito.”, afirma Mário Terra, oposição do SINTECT-RS.

Ariovaldo afirmou, também, que além da questão dos atendimentos odontológicos – solucionada no dia de ontem, segundo o mesmo -, com relação às clínicas médicas, a situação financeira foi resolvida até março, somente.

Ricardo Adriane (Nego Peixe), expõe o descontentamento da categoria

O Secretário Geral da FINDECT, Ronaldo Martins, discordou da posição do presidente da Postal Saúde e exigiu solução para a situação caótica. “Os Trabalhadores foram obrigados, por decisão do TST, a contribuírem ainda mais com o Plano de saúde. Essas situações não podem, e nem devem acontecer de maneira alguma. A categoria quer o atendimento completo. É inadmissível o discurso da falta de dinheiro nessa situação”.

Outro ponto muito discutido é a falta de informação sobre a rede credenciada. “Não existe comunicação da Postal Saúde com os Trabalhadores. Os canais disponibilizados hoje, são desatualizados. O custo do plano é altíssimo, e ainda deixa a categoria à mercê da sorte”, afirma Raimundo Cardoso, SINTECT-SP.

Os dirigentes da FINDECT deverão votar, ainda hoje, o prosseguimento de ação pública contra os Correios e a Postal Saúde. Com relação ao pagamento de mensalidades, o departamento jurídico da Federação está concluindo a denúncia à Organização Internacional do Trabalho, questionando a decisão do TST que alterou a cláusula 28 do Acordo Coletivo de Trabalho, assinado dentro do próprio tribunal.

Wedson, dirigente do Maranhão, questionou a Postal Saúde com relação à redução da rede credenciada na região. “Nós perdemos diversas clínicas, laboratórios e hospitais em nosso estado. Além disso, queremos saber porque ainda existe o loteamento de cargos dentro da Postal Saúde. Isso é um absurdo!”, afirma o dirigente.

A Federação solicita aos Trabalhadores para que encaminhem todas as denúncias de falhas no atendimento da rede da Postal Saúde. Os Sindicatos filiados foram orientados a reunirem as informações junto à base, para contribuir com a ação jurídica da FINDECT.

Compartilhe agora com seus amigos