Siga nas redes

Presidente dos Correios anuncia privatização no mesmo dia em que Pauta de Reivindicações é protocolada

Publicado em 18/06/2019

Fonte:


Em reunião, dirigentes da empresa se omitiram em receber a Pauta de reivindicações das Federações, deixando a tarefa para o terceiro escalão. Cenário antecipa dificuldades e intransigências na Campanha deste ano.

Protocolo da Pauta – Da esq para dir: Anézio Rodrigues (FINDECT), Emerson Marinho (FENTECT), Elias Cesário – Diviza (FINDECT) e Amanda Corcino (FENTECT)

Na segunda-feira, 17 de junho, a FINDECT, representada por seu Vice-Presidente, Elias Cesário (Diviza) e seu Diretor Financeiro, Anézio Rodrigues, esteve em Brasília, na sede da Empresa, para protocolar a Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial. Este ano, as duas Federações uniram-se em prol da luta conjunta da categoria Ecetista e apresentaram juntas as propostas para o Acordo Coletivo 2019/2020. No entanto, quebrando o protocolo de respeito aos Trabalhadores e suas representações sindicais, os dirigentes da Empresa recusaram-se a receber as Pautas de Reivindicações da categoria e enviaram representantes para cumprir as formalidades.

Essa situação deixa claro o que a categoria pode esperar da Campanha Salarial deste ano: muita intransigência e dificuldade nas negociações. Além de não receber os Sindicalistas, os representantes da Empresa foram impedidos de tirar foto no momento do protocolo da pauta. A atitude é continuidade do discurso do Presidente da República, Jair Bolsonaro, de criticar os Sindicatos e até ameaçar de demitir o Presidente dos Correios, General Juarez, por defender a manutenção da Empresa como Estatal, Pública e à serviço da população.

Com a pauta protocolada, a promessa é de que os dirigentes da Empresa terão o documento em suas mãos para avaliação. No entanto, isso não significa que as reivindicações da categoria serão atendidas. A principal luta é pela manutenção das conquistas garantidas no Acordo Coletivo de Trabalho, a reposição da inflação para reparar as perdas salariais, e a garantia do emprego para os mais de 100 mil Trabalhadores e Trabalhadoras Ecetistas.

A orientação da FINDECT e dos Sindicatos filiados (São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru, Maranhão e Tocantins) é manter a unidade para avançar em conjunto com toda a categoria. A união das Federações na Campanha Salarial é um primeiro passo para que a unidade seja mantida. FINDECT e FENTECT negociarão juntas aos seus Sindicatos filiados a garantia de todas as conquistas e o fim das ameaças de privatização.

General Juarez busca apaziguar ânimos diante da venda dos Correios:

Em videoconferência ocorrida também na segunda-feira, o Presidente da Empresa reforçou o discurso do Governo em vender a Estatal para o capital privado. Segundo ele, os Trabalhadores podem ficar tranquilos com relação a garantia de seus direitos. Promessa vazia, como a própria história mostra a quem queira conhecer.

As estatais que passaram por processo de privatização tiveram grandes demissões em massa, a exemplo da Vale do Rio Doce e empresas do setor de telefonia. E com a terceirização regulamentada pela reforma trabalhista de Temer, nenhum emprego está garantido.

Ainda, a partir da fala do General fica evidente o tom de ameaça de que, caso a Empresa não seja privatizada, os Direitos (como FGTS) não serão garantidos no caso de falência dos Correios. Outra grande mentira, realidade fantasiosa de quem não conhece o dia a dia do trabalho nos Correios.

Por isso, manter a unidade e preparar-se para a luta são imprescindíveis neste momento. Somente através da resistência e do embate os Trabalhadores e Trabalhadoras Ecetistas manterão seus empregos, direitos e benefícios arduamente conquistados e justamente merecidos!

 

Compartilhe agora com seus amigos