Siga nas redes

FINDECT participa de audiência Pública em defesa dos programas de saúde dos Trabalhadores  de estatais

Publicado em 27/08/2018

Fonte:


A audiência tem início às 10h desta terça-feira, e será seguida de um grande ato nacional em frente ao Ministério do Planejamento contra a resolução 23 da CGPAR

Nesta terça-feira, 28 de agosto, representantes da FINDECT participarão de audiência pública, na câmara Federal, em apoio ao PDC 956/2018, de autoria da Deputada Erika Kokay, que prevê a suspensão dos efeitos da resolução 23 da CGPAR (Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União). Esta resolução põe em risco a continuidade do direito à assistência médica dos Trabalhadores em empresas públicas, em especial dos Correios, que sofreram um duro golpe há menos de um ano.

Essa resolução da CGPAR, combatida pela FINDECT e demais instituições de luta que representam os funcionários de empresas públicas, foi publicada em 2017 e prevê maior participação dos Trabalhadores na manutenção do plano de saúde. Além disso, a resolução também possibilita a exclusão de aposentados e dependentes nos planos de assistência médica.

A audiência deve acontecer na Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal – CTASP, a partir das 10h, e será de grande importância para conquistar aliados nessa batalha. Segundo o dirigente da FINDECT, Wilson Araújo, participar nessa comissão é “demonstrar para os parlamentares no congresso Nacional o elevado interesse dos trabalhadores das empresas públicas federais confrontando a Cgpar 23, já que a matéria futuramente vai para votação no congresso”, afirma.

Além disso, também está programado um grande ato, em frente ao Ministério do planejamento, a partir das 14h, em Defesa dos programas de saúde dos trabalhadores em estatais. Participe!

Lembrando que a resolução 23 da CGPAR, segundo análise do departamento jurídico da Federação, traz muitos pontos que prejudicam os Trabalhadores dos Correios, como por exemplo 50% do custeio pelos Trabalhadores, a possibilidade de retirar do ACT qualquer informação sobre plano de saúde, além do fim dos Pais e mães no plano de saúde (apenas filhos e cônjuges).

Confira a cartilha, produzida pelos representantes dos Trabalhadores em Empresas Públicas, que traz informações sobre a luta em Defesa dos programas de saúde dos trabalhadores em estatais.

Clique aqui para ler a cartilha

 

 

Compartilhe agora com seus amigos